PRONOMES DE TRATAMENTO

EMPREGO DOS PRONOMES DE TRATAMENTO

O emprego dos Pronomes de Tratamento obedece a tradição secular. São de uso consagrado:

a) Vossa Excelência:  Para autoridades máximas dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário;
b) Vossa Senhoria: Para demais autoridades;
c) Vossa Magnificência: Empregado, por força da tradição, em comunicações dirigidas a Reitores de Universidades.

 

PRONOMES DE TRATAMENTO EM DESUSO NA REDAÇÃO OFICIAL

A Instrução Normativa n.o 4, de 6 de março de 1992, e o Manual de Redação da Presidência da República determinam que não devem ser utilizados os tratamentos:

Digníssimo (D.D.): A dignidade é pressuposto para que se ocupe qualquer cargo público, sendo desnecessária sua repetida evocação.

Ilustríssimo (Ilmo.): Os tratamentos Senhor e Vossa Senhoria são suficientes para conferir a formalidade adequada.
Doutor (Dr.): Não é Pronome de Tratamento e sim título acadêmico. Como regra geral, devese empregá-lo apenas em comunicações dirigidas a pessoas que tenham concluído curso universitário de Pós-Graduação em nível de Doutorado.